Depoimentos

 

- Mariana y Nicolás Escudero - Travesías de Montaña - Travessias Patagonia Argentina/2021

Vivir una experiencia en la montaña es un sueño que todos deberían poder cumplir. Una vez por año, elegimos escaparnos para sumar momentos únicos. 

Siempre fuimos guiados por Milton. 
Sabe, conoce, es sumamente gentil, solidario y, fundamentalmente, muy divertido.
Con Milton nos garantizamos una travesía única y segura. 
Por más experiencias de montaña juntos, Milton!
 
Abrazo. Mariana y Nicolás
 
 

- Gonzalo Ferradas - Escalada em Rocha - Bariloche/ 2021

Escalar con vos Milton fue una de las experiencias mas importantes en mi vida ya que siempre tuve miedo de las alturas y pude conquistar ese miedo
 
Sos un grande!
 
Gonzalo Ferradás 
 
 
- Laura Lopez - Travesías de montaña - Travessias Patagonia Argentina/2021
 
Hola Milton !! Estaba tratando de recordar, y si la memoria no me falla, tuve la suerte de compartir 4 travesias hermosas con vos en Andemita, espero seguir haciéndolo. Amo hacer eso, amo estar en la montaña, a pesar de lo que me cuesta cargar con la mochila. Y de esas salidas hay algo que voy a agradecerte siempre y es el haberme enseñado a no desesperar en las cuestas, relajarme, encontrar ese paso a paso. Eso que ayuda a disfrutar del camino. Gracias!! Abrazo enorme y hasta la próxima travesía!!
 
- Leticia de Viedma,  Río Negro, Argentina - Travessias Patagonia Argentina/2021
 
Tuve el gusto y la bendición de realizar tres travesías de montaña con él en la zona de Bariloche, Patagonia Argentina. Excelente guía! Siempre bien predispuesto, amable, empatico y atento a la necesidad de todos los participantes del grupo. Espero volver a hacer una cuarta travesía y seguir compartiendo aventuras.
 
 
- Christian Lennon - Buenos Aires - Argentina - Travessia trekking e kayak/2021
 
"Milton es un gran guía, divertido y profesional ! También buen cocinero ! "
 
 

- Cristiano Muller - 20 de fevereiro de 2016 - Curso de escalada em neve e gelo/2013

Há exatamente 3 anos, eu realizava na Argentina, um curso de escalada em neve e gelo que íria me ajudar muito a desenvolver técnicas que hoje são imprescindíveis nas minhas aventuras na montanha. Obrrigado mais uma vez ao amigo e grande profissional Milton Marques pelos ensinamentos.

 

- Liete Lourenço Curvello - 26 de janeiro de 2015 - Guiada do netos e Escalada do Cerro Aconcágua/2015

Obrigado sr. Milton. Graças a deus conduziu muito bem meus amados netos. Que Deus lhe abençoe. Bj. da Vó orgulhosa . 

 

 - Kevin Salvatti - 29 de janeiro de 2015 - Curso de escalada em neve e gelo e Escalada do Cerro Aconcágua/2015

Já estamos em casa, ainda estamos comendo muito, por todos os dias na montanha, o resto tudo certo, chegamos bem, todos feliz pela nossa conquista.

Gostaria de agradecer por tudo, pelo curso, foi muito bom, aprendemos muito mesmo, todas as técnicas. E o Aconcágua, que foi demais, sonho realizado, tudo se encaixou certinho, no tempo certo, tudo muito bom, valeu por tudo Milton Marques ......, Grande abraço, tudo de bom. 

 

- Eduardo Koiti Hita - 02 de março de 2015 - Curso de escalada em neve e gelo/2015

Milton, obrigado pelas fotos.

Dando um feedback do curso, foi bem proveitoso. Sendo uma introdução, há que aprimorar com certeza. Talvez não fosse má ideia ampliar um pouco mais a prática para sedimentar mais o aprendizado. Caminhar encordado simulando situações práticas do dia a dia, me pareceu muito importante. A escalada nas gretas foi uma beleza. Gostaria de ter pegado um paredão de 20. Quase uma terapia. acho que um material impressp versando sobre os topicos principais seria bom.  

 

- Rodrigo Gomes Ferreira - 25 de fevereiro de 2016 - Curso de escalada em neve e gelo/2015

Oi, Milton!

Estou bem sim, e você?    

Acabei de voltar da Argentina. Escalei em Los Arenales, várias vias em rocha e o Punta Negra (quase nada de neve). E em El Chaltén, fiz a volta ao redor do Fitz e do Torre, pelo campo de gelo. Você já fez? Essa volta foi a maior expedição que já fiz e, certamente, só consegui pelo aprendizado que tive no teu curso. Não fomos com guia, nem ninguém que havia feito o trajeto, nem track log. Eu guiei praticamente tudo, em um grupo de quatro. Apenas um amigo meu que tinha experiência e conhecimento mais apurado, pois já tinha feito o curso do CAB e algumas montanhas de gelo e neve, tomou a frente nos campos de neve para eu descansar um pouco. Pegamos milhares de gretas, principalmente na saída do glaciar, em direção ao paso del viento. Um labirinto que pediu até escalada com proteção de parafusos. Depois dessa, agora me sinto à vontade neste tipo de ambiente, e pronto para encarar as escaladas no maciço do Fitz e Torre, ou outras montanhas e travessias de gelo e glaciar. E agora tenho noção de como o teu curso deu uma ótima base para travessias de glaciares, campos de neve, e até escaladas em gelo. Não só pelas técnicas, mas pela noção de leitura de terreno, compreensão da dinâmica das montanhas com gelo e neve, dos glaciares. Felizmente tivemos sorte com o clima, e nenhum problemas sério. Apenas erramos a saída do Glaciar, e atrasamos em uma noite o nosso cronograma, mas isso foi uma questão de navegação que muitos devem ter, pois onde acabamos quando erramos, tinham vários vestígios de outros acampamentos.

 

- Alexandre Teixeira - 01 de março de 2016 - Curso de escalada em neve e gelo/2015

Boa Noite Milton

Tudo bem.

Com relação a experiência de fazer o curso de escalada no gelo em 2015, tenho as seguintes observações
a registrar:

O curso é desenvolvido junto ao refúgio Otto meiling ao pé do Cerro Tronador que me parece um local bastante
adequado por possuir uma altitude relativamente baixa e com relevo de altas montanhas onde podemos executar os movimentos de ascender em paredes de gelo utilizando o piolet e Grampones.
Tenho que admitir que no início foi um pouco difícil para mim pois tenho fobia de altura, e a primeira ascensão foi
com a utilização de muita força física. Na segunda tentativa foi um pouco mais light, com o emprego da técnica.
Vejo que com a prática constante esse movimento é bastante tranquilo.
No curso fizemos algumas vezes estes movimentos, mas foram poucos.
Deveria ser dado ênfase maior a estes movimentos.
Também tivemos uma parte técnica com o aprendizado dos nós mais utilizados e técnicas de encordamento.
Fiz algumas besteiras e caí duas vezes em duas gretas o que fez o grupo aplicar bem as técnicas o que foi bom.
Tínhamos outro grupo que fez um curso similar ao nosso , mas com muito mais prática e no final com uma ascensão ao Cerro Tronador.
Acredito que não estaria preparado ainda para encarar esta empreitada, além de não ser a melhor época para
fazer pois já estávamos no final do verão e tudo desmoronando.
Concordo com as observações do nosso instrutor Milton que as fez.

Com relação ao nosso instrutor Milton é um excelente profissional, que domina totalmente estas técnicas
e as aplica com desenvoltura e maestria, conseguindo transmitir bem os ensinamentos.
Como li em um livro escrito pelo escalador e guia Manoel Morgado o Milton é uma pessoa a quem poderíamos
confiar e entregar nossa vida.
Tive uma outra experiência com o Milton que ajudou a guiar um grupo de brasileiros ao Refúgio Roca , no qual
ele literalmente carregou uma integrante do grupo nas costas.
Estava próximo e vi sua competência como profissional.

Conheci ele um pouco mais neste tempo que ficamos juntos, em torno de 10 dias e vejo que é uma excelente pessoa, de bom coração mas que as vezes trata com muita rigidez e isso me deixou de certa forma constrangido, pois fiz a travessia do Catedral ao Refúgio Frey e deste ao Jacob e decidi desistir.
Como tenho certa fobia de altura reconheço que superei muitos obstáculos, mas foi bastante puxado mais na parte psicológica e então pensei bem nos meus filhos e não quis arriscar em continuar em direção aos outros refúgios, pois este terceiro dia seria o mais puxado.
Não gostei por ele ter comentado com meu amigo que me falou que não era um bom montanhista em desistir.
Apenas te digo que sei dos meus limites e acabei rompendo eles e não me envergonho de ter desistido.
Acho que ainda não estava preparado para encarar o que vinha pela frente, e quem sabe volte a encarar!!!

Desculpe a sinceridade, mas estas são as minhas observações.

Abraço

Alexandre
 

 

- José Roberto Resende - 01 de Setembro de 2015 - Escalada Vulcão Cayambe Equador/2015

Caro amigo Milton,

“Tive a oportunidade de ter o Milton Marques como guia no Equador e fiquei muito bem impressionado com o seu conhecimento de montanhas, disposição, companheirismo e profissionalismo, principalmente nos momentos mais complicados. Recomendo fortemente.”

Forte abraço
José Roberto Resende

  

- Carlos Alberto Monteiro - 20 de novembro de 2014 - Escalada do Cerro Aconcágua/2014

O Milton Marques é um profissional com muita experiência, muito conhecimento e muita vivência em atividades ao ar livre e, principalmente, no montanhismo.

Com vários cursos e com várias experiências, ele pode proporcionar todos os detalhes de planejamento e execução de expedições e viagens em montanhas e trilhas.
Tive a oportunidade de perceber esse conhecimento em uma viagem que fizemos ao Aconcágua e as experiências realmente ajudam a proporcionar tranquilidade para os clientes, deixando para focar no montanhismo em si.
Sempre disposto a ajudar, também possue equipamentos para garantir o sucesso saudável de expedições.
Foi uma ótima oportunidade e o Milton Marques é totalmente capaz de planejar quaisquer expedições, tem minha recomendação.
 
Carlos Alberto Monteiro
 

- Cristiano Muller - 20 de fevereiro de 2013 - Curso de escalada em neve e gelo/2013

Milton Marques obrigado pelo profissionalismo, apoio e principalmente por todo teu empenho em fazer com que o curso valesse muito a pena! 

 

- Manoel Morgado - 30 de agosto de 2012 – Livro "Manaslu em busca de meus limites"  

MANASLU, A MONTANHA DOS ESPÍRITOS

....Eu simplesmente cheguei na borda e saltei os 3 metros verticais rumo a uma pequena plataforma de neve sólida do outro lado. Se tivesse parado para pensar, não teria feito. Já não tinha adrenalina dentro de mim. Estava exausto, amedrontado e querendo acabar tudo, de uma forma ou de outra. Como zumbis caminhamos em direção à barraca no campo 1. Estamos salvos!

Ao longe, vejo uma figura em pé ao lado da barraca, mas não tenho idéia de quem seja. Ao chegar mais perto vejo que é o Milton que subiu para ajudar-nos com o peso que temos de levar para baixo. No campo 1 mais uma barraca, mais comida, mais gás. Não consigo nem expressar minha alegria ao vê-lo, nem tanto por causa da ajuda para levar tudo ao base, mas sim por ser alguém que pertence ao outro mundo, aquele que deixamos cinco dias antes onde as pessoas vivem de maneira normal, onde comem com apetite, dormem noites inteiras, não passam medo e sorriem. Isto tudo, neste momento, parece pertencer a algo de muito tempo atrás, de um passado distante.

Conheci o Milton Marques por acaso na Ilha Bela, onde estava aprendendo kite surf com o objetivo de tentar usar na expedição que estava planejando na Antártica. Ele estava na mesma pousada, de férias com sua esposa Ana, e imediatamente encontramos mil pontos em comum. Assim como eu, o Milton é guia de montanha há muitos anos e muito experiente. Trabalhou na Outward Bound no Brasil como instrutor e há cinco anos mudou-se para Bariloche, na Argentina, em busca de melhor qualidade de vida. Trocamos e-mails e um pouco depois começamos a planejar maneiras de trabalharmos juntos. Com o passar do tempo o conheci melhor e minha admiração por ele só cresceu. É reservado em relação à sua vida pessoal, mas no dia a dia é de riso fácil. Porém, ao trabalhar, muda, torna-se sério e perfeccionista. Dono de uma autoconfiança invejável, é fácil confiar nele.

A nevasca está cada vez mais forte, já são 16 horas e o frio aumenta. Nos abrigamos muito mais, descansamos alguns minutos e partimos, agora seguindo o Milton que nos avisa que mesmo neste trecho sempre tão tranquilo as cravasses abriram e tem uma, quase chegando ao base que está bem difícil. Meu coração afunda. Não esperava por esta notícia. Mais do que escurecer, a qualidade da luz muda, ficando ainda mais suave. Durante todo o dia não pude ver muito além de poucos metros à minha frente. Sigo o Paul que está seguindo o Milton. Mal reconheço onde estou, tudo está diferente carregado de neve fresca. Mas, também não ligo, quero apenas chegar na cravasse que terei de saltar, na última cravasse que me separa do base. Sei que depois dela não terei de caminhar muito mais.

Manoel Morgado

 

 

Home           Histórico           Galeria de fotos           Contato

Milton Marques - Guia Brasileiro na Argentina

Compartilhe nas redes sociais: